segunda-feira, 9 de outubro de 2017

XII Kipupa Malunguinho - Encontro Nacional dos Juremeiros e Juremeiras 2017



XII Kipupa Malunguinho

Encontro Nacional dos Juremeiros e Juremeiras 2017


Foi lindo. O Kipupa mais um ano atingiu seu objetivo: unir o povo da Jurema e celebrar a força da Ciência Mestra junto à todas e todos espíritos de luz. O Kipupa é o caminho das possibilidades espirituais, da ancestralidade e dos saberes tradicionais.

A Mata Sagrada é o lugar, por direito, de nosso povo. Pisar descalço no chão, beber a Jurema preparada na força maior, receber a defumação e fumar o cachimbo, conversar com os mestres e mestras, caboclos e caboclas, índios e pajés, triunfar na fumaça, ofertar seu amor ao sagrado, pisar forte no chão com o coco de roda, tocar ilú e balançar o maracá... Tudo isso e muito mais encheu o coração de nosso povo de amor e energia positiva para continuarmos na missão de lutar contra todos os tipos de opressão social que sofremos. O Kipupa é isso e muito mais... É festa, celebração, amor, união, paz e cura... É muito mais...

Esse vídeo, que registrou de forma brilhante nosso Encontro, é parte do apoio dado ao Kipupa pelo Vereador do Recife Ivan Moraes Filho do PSOL, que com carinho nos recebeu em seu gabinete e abriu as portas para nos ajudar com muita dignidade. Obrigado Ivan, foi muito importante seu veemente apoio nessa causa. Não nos negou o que seu mandato dispunha, isso foi honroso. Não esperaríamos algo diferente de você e de toda sua equipe, que com muita leveza conduziu todas as articulações de forma maravilhosa. Parabéns, vocês compõem um mandato que acreditamos! Que a Jurema os energize para mais e mais lutas pela democracia e apoio aos verdadeiros movimentos de base. Estamos juntos!

Ano que vem tem mais. Que a Jurema abençoe à todas e todos. Que Reis Malunguinho olhe por nós e nos defenda dos males dessa sociedade racista, embranquecida e de direita!

Sobô Nirê Mafá! 
Trunfa Riá! 
Salve a Jurema Sagrada! 

Ficha Técnica do Filme 

Imagens e edição: Wakko Nobre 
Produção: Ana Beatriz, Beto Figueiroa e Jorge Cavalcanti 
Equipe de Comunicação do Mandato de Ivan Moraes Filho (PSOL) 
Intérprete de Libras: Jaqueline Martins 

#KipupaMalunguinho #JuremaSagrada #Catimbó #PovodeTerreiro #Democracia #VereadorIvanMoraesFilho #PSOL #QuilomboCulturalMalunguinho #ForaTemer #DiretasJá COMPARTILHEM!!

Alexandre L'Omi L'Odò
Quilombo Cultural Malunguinho
alexandrelomilodo@gmail.com

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Homenagem no Prêmio Mourão que não Bambeia para a Mestra Juremeira Dona Alaíde de Benedito Fumaça



Homenagem no Prêmio Mourão que não Bambeia para a Mestra Juremeira Dona Alaíde de Benedito Fumaça

No XII Kipupa Malunguinho, realizado dia 24 de Setembro de 2017, homenageamos com muita honra e alegria a Mestra Juremeira Dona Alaíde do Mestre Benedito Fumaça. Juremeira com mais de 70 anos de Jurema, ela mora em um sítio bem reservado e distante na cidade de Caruaru, em Pernambuco. Uma quilombola, agricultora, herdeira dos saberes ancestrais de seus pais e avós, uma grande religiosa tradicional.

Soube de sua existência através de seu sobrinho carnal, o juremeiro e babalorixá Pai Cacau, que me contou um pouco da história dessa velha mestra e nos deu a possibilidade de conhecê-la pessoalmente, inclusive fazendo a difícil tarefa de convencê-la a sair de seu recluso terreiro para vir às matas sagradas de Malunguinho para receber esta homenagem. Pai Cacau, um bom juremeiro, a partir de sua sensibilidade me provocou a incluir essa mestra no Mourão, e eu, por entender sua grande importância não titubeie e a incluí sem sequer pestanejar. Senti em meu coração o tamanho da luz dessa mulher linda que nos abençoou com sua vinda ao Kipupa, nos possibilitando conhecê-la e mostrá-la ao mundo.

Para nós do Quilombo Cultural Malunguinho, dar visibilidade e fortalecer essas jóias raras da nossa tradição, é uma missão de primeiro escalão. Respeitar a ancestralidade e a antiguidade dos verdadeiros e verdadeiras mestres e mestras vivos da Jurema Sagrada é um orgulho para nós, que acreditamos que temos muito a aprender com essas lideranças antigas de nossa religião. Precisamos de mais e mais pessoas velhas que possam com sua sabedoria nos abençoar e ensinar, pois nossa tradição precisa ser salva, e com excelência, são os mais velhos que tem o que nos mostrar (o caminho) e educar.

Mestra Alaíde é um Patrimônio Vivo da Jurema, cujo o Estado precisa reconhecer e salvaguardar. O Povo de Caruaru tem em suas terras um lindo diamante negro, de força e luz, uma curandeira, uma rezadeira, uma mestra dos saberes tradicionais da medicina da Jurema, uma discípula muito antiga do Mestre Benedito Fumaça, que com seu cachimbo abençoa a vida de centenas de pessoas que a procura.

Com muito carinho, convidei o Juremeiro Pai Freitas do Rio Grande do Norte, discípulo e consagrado ao Mestre Benedito Fumaça para entregar o Mourão que não Bambeia, pela pertinência de sua luta e engajamento religioso na Jurema. Ele também é Mourão do Quilombo Cultural Malunguinho e recebeu essa glória de homenagear com cânticos sagrados essa mestra que nos inspirou à todas e todos por mérito.

Vamos celebrar a existência de uma pessoa como ela. Agradecer a Pai Tupã e Mãe Tamain por ela ser nossa guia nos caminhos da vida. Obrigado à espiritualidade e a força da Jurema.

Obrigado à Adriano Lima do Gambiarra Imagens por ter feito esse material tão lindo e necessário. Este vídeo ficará na memória do Povo da Jurema como um documento que registra a existência da Mestra Alaíde na terra. Vamos fazer um documentário maior. Ela merece e nós precisamos. Como sempre você é providencial na percepção do que é importante para ser registrado na nossa caminhada de luta. Axé e que Malunguinho lhe abra todos os caminhos e abençoe mais ainda seu olhar através das lentes das câmeras.

Salve a Jurema Sagrada!
Salve a fumaça!
Salve Mestra Alaíde!
Salve Malunguinho!
Salve Benedito Fumaça!
Sobô Nirê Mafá!

Alexandre L’Omi L’Odò
Quilombo Cultural Malunguinho
alexandrelomilodo@gmail.com

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Alexandre L'Omi L'Odò palestra no III Desfazendo Gênero - PB


Alexandre L'Omi L'Odò palestra no III Desfazendo Gênero - PB

Vai ser quente a discussão e toda troca de saberes. Chega mais, que este evento vai ser histórico!

Programação:

19H - 20H30

MESA TEMÁTICA 1

Saberes da diferença pra (re)fazer a resistência Problematizará o investimento planejado na extinção ou apagamento de formas de vida que mostram ser possível manter o corpo resistente às estratégias de controle e dominação articuladas aos processos de colonialidade; um diálogo com saberes que resguardam elementos de sistemas epistemológicos organizados a partir de cosmologias que desafiam as estratégias de homogeneização ocidentais. Que chaves oferecem para a (re)invenção de nossas formas de atuação? Que estratégias inspiram para desfazer o agenciamento de marcadores da diferença nos processos de racialização e sexualização que conferem inteligibilidade ao “humano”? Essas e outras questões interessam ao debate. 

Pessoas/experiências convidadas:

• Dra. Alessandra Ribeiro (Comunidade Jongo Dito Ribeiro, Casa
de Cultura Fazenda Roseira, Campinas-SP)

• Ms. Alexandre L’omi L’odo (Mestre em Ciência das Religiões pela
UNICAP-PE. Quilombo Cultural Malunguinho)

• Thafkhêa Matos (Guerreiro Fulni-ô. Águas Belas-PE)

• Dr. Estevão Fernandes (Universidade Federal de Rondônia)
Mediação: Prof. Dra. Idalina Freitas Lima Santiago (Mestrado em
Serviço Social/UEPB)

Local: Auditório 01 da Central de Integração Acadêmica - CIAC.

Confira toda programação no link: http://desfazendogenero.com/programacao/ 

Alexandre L'Omi L'Odò
Quilombo Cultural Malunguinho
alexandrelomilodo@gmail.com

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Cordel Malunguinho - Trabalho escolar dos alunos da EREM Mariano Teixeira



Cordel Malunguinho - Trabalho escolar dos alunos da EREM Mariano Teixeira

Um trabalho lindo dos alunos Lúcia e Álvaro da EREM Mariano Teixeira, em Recife. Me emocionei muito pelo nível de competência e criatividade artística desses estudantes que com a orientação da guerreira professora Célia Cabral, fizeram este rico vídeo com desenhos feitos à mão por Álvaro. Este trabalho foi apresentado no dia 18 de Setembro de 2017 como resultado da Semana da Vivência e Prática da Cultura Afro Pernambucana, Lei Malunguinho 13.298/07.

O texto é do Cordel Malunguinho - Histórico Divino, de autoria de Antônio Lisboa e produção de Misia Coutinho. Trata da luta do Quilombo do Catucá e toda resistência do herói negro/indígena Malunguinho.

Aproveitem, esse é um material lindo que merece ser compartilhado, pois é resultado de anos seguidos de luta do QCM - Quilombo Cultural Malunguinho. Acreditar vale a pena. Podemos sim contribuir na formação de alunos e alunas e fortalecer as leis federais 10.639/03 e a 11.645/08.

#MalunguinhonaEscola #JuremanaEscola #QuilomboCulturalMalunguinho #LeiMalunguinho13298 #Malunguinho #EREMMarianoTeixeira #EducaçãoÉtnicoRacial

Alexandre L'Omi L'Odò
Quilombo Cultural Malunguinho
alexandrelomilodo@gmail.com 

domingo, 1 de outubro de 2017

Fé na Jurema e no Reis Malunguinho

Alexandre L'Omi L'Odò segura a imagem do Reis Malunguinho, simbolizado por uma criança preta. Símbolo da fé e da luta do povo negro e indígena. Foto de Gabriel Melo. Diario de Pernambuco.

Fé na Jurema e no Reis Malunguinho

Esperar na fé... As vezes nos vemos perdidos nos caminhos da vida... Onde se encontrar torna-se um grande desafio a ser suplantado. A espiritualidade orienta que devemos abrir nossas próprias portas e janelas interiores para que a fumaça sagrada entre e traga luz e resolução.

Malunguinho sempre diz: "eu, que me levaram arrastado, me mataram e esquartejaram, sumiram com minhas partes... Estou aqui, pronto pra lhe ajudar! Aprenda a ter problema! Aproveite a luz do dia e a luz da noite... quando passamos pro outro lado e não sentimos mais o gosto da farinha e do feijão, é que entendemos como é importante o respirar e o pisar no chão... Voltei pra ajudar. Me deixe lhe ajudar... E se ajude!".

Para quem necessitar, deixo esse recado em forma de ponto na firmação do Reis das Matas:

"Cruzeiro Monte divino, Cruzeiro Monte sagrado. Cruzeiro Monte divino, aonde Tupã tá sentado. No fundo do mar tem areia, nas águas do mar tem ciência... Quem se acha perturbado nesse mundo, peço a Deus que lhe dê paciência. Segura eu no mundo, segura eu. Sustenta eu Juremá, sustenta eu"!

Trunfa Riá!!!
Sobô Nirê Mafá!

#Malunguinho #JuremaSagrada #AjudaEspiritual

Foto de Gabriel Melo.

Alexandre L'Omi L'Odò
Quilombo Cultural Malunguinho
alexandrelomilodo@gmail.com

Vídeos Negros nossos!!

Loading...

Quilombo Cultural Malunguinho

Quilombo Cultural Malunguinho
Entidade cultural da resistência negra pernambucana, luta e educação através da religião negra e indígena e da cultura afro-brasileira!